Brasil melhora um pouco a nota, mas cai no ranking de facilidade para fazer negócios

24-10-2019 08:00 - Ecossistema Brasil

Promovido pela GS&MD, uma das empresas que compõe o ecossistema de negócios do Grupo GS& Gouvêa de Souza, evento trará especialistas para discutir oportunidades, desafios e entraves legais deste mercado

O Brasil ficou na 124ª posição entre os 190 países avaliados pelo ranking Doing Business 2020, elaborado pelo Banco Mundial para analisar a facilidade de se fazer negócios em todo o mundo.

Dos 10 aspectos analisados pelo relatório, o Brasil teve melhora em 3, piora em 1 e manteve o mesmo desempenho nos outros 6.

Mas a nota do Brasil até melhorou, de 58,6 na edição anterior da análise, para 59,1 na deste ano, mas o país caiu 15 posições em relação ao ranking de 2019, quando ocupou o 109º lugar.

A melhora no registro de propriedades foi a que mais chamou atenção, com um aumento de 2,2 pontos percentuais.

Sobre isso, no texto de divulgação, o banco aponta um aprimoramento no sistema de administração de terras, a introdução de pagamentos online em São Paulo e a criação de um sistema também online no Rio de Janeiro para obter certificados de propriedade.

China, Índia e Nigéria foram considerados como os países que mais reformas fizeram para favorecer o clima empresarial, mas o ranking segue liderado por Nova Zelândia, Singapura, Hong Kong, Dinamarca e Coreia do Sul, que formam o top-5 da classificação.

País distante dos ricos e emergentes

Entre os países do Mercosul, enquanto o Uruguai aparece na 101ª posição, os outros países seguem colados ao Brasil, com Paraguai na 125ª colocação e Argentina na 126ª.

Embora esteja um pouco melhor que esses dois vizinhos mais próximos, outros países da América Latina mantêm boa distância do Brasil. É o caso do Chile, México, Colômbia e Costa Rica que estão na 59ª, 60ª, 67ª, e 74ª colocação, respectivamente.

A diferença ocorre também em relação aos parceiros do Brics, em que os brasileiros aparecem atrás de todos eles, com Rússia em 28º lugar, China, 31º, Índia, 63º, e África do Sul, 84º.

Pelo mundo

Nos últimos anos, além disso, foram incluídos indicadores de gênero, que mostram que em mais de 30 países existem restrições para mulheres empresárias, entre elas limites para posse ou transferir propriedades.

O Banco Mundial também informou que ao longo do ano passado 115 economias do planeta foram responsáveis por 294 reformas que facilitaram o ambiente de negócios para os empresários.

Dos países analisados, os dez onde os ambientes de negócio mais melhoraram foram Arábia Saudita, Jordânia, Togo, Bahrein, Tajiquistão, Paquistão, Kuwait, China, Índia e Nigéria.

O relatório Doing Business 2020 é um dos mais influentes do Banco Mundial. O ranking detectou 294 reformas no mundo todo para favorecer o ambiente de negócios, a maior parte delas para reduzir os custos e a complexidade de criar uma empresa. EFE.